Confira dicas para estacionar com segurança

Confira dicas para estacionar com segurança

Chegar ao local e deixar a chave do carro na mão manobrista do estacionamento. Nada mais cômodo, certo? Errado. Entregar seu veículo sem saber algumas informações básicas a respeito do estabelecimento e deste serviço pode dar dor de cabeça na volta. Riscos, cutucados na lataria, estepes roubados e multas são os problemas mais comuns e podem ser percebidos tarde demais. O iCarros separou algumas dicas para que o simples ato de estacionar o carro não vire um transtorno.

Na legalidade

O primeiro detalhe a se prestar atenção é se o estacionamento é legalizado. As regras variam de cidade para cidade, mas, por exemplo, em São Paulo (SP), o estabelecimento precisa ter afixados em local visível as tarifas cobradas, o número de vagas do local e as informações sobre o seguro. Sem a apólice, fica mais difícil cobrar da empresa a cobertura de eventuais prejuízos em seu carro. Esta obrigação faz parte da lei 11.367, de 17 de maio de 1993. 

Em seu primeiro parágrafo, informa que ‘nos estacionamentos de ‘shopping-centers’, lojas de departamento, supermercados e de empresas que operem ou disponham de áreas para esse fim, deve ser afixada, na entrada, em local visível, placa informativa aos consumidores, quanto ao seu número de vagas e se o mesmo está coberto de seguro contra furto e roubo de veículos’. Só na capital paulista, há 19 leis municipais que regulamentam o serviço de estacionamento. Há regras até para as vagas em 45º (em diagonal). 

Sem aperto


Alguns estacionamentos possuem o péssimo hábito de diminuir o tamanho das vagas para aumentar o número de lugares disponíveis. Este ‘aperto’ pode causar riscos e cutucões na lataria. Se possível, procure um local onde seja possível, ao menos, abrir as portas do veículo. Quem possui carros altos (SUV´s, vans etc.) deve ficar atento também à altura máxima permitida. A informação geralmente é divulgada na entrada do estacionamento.

Vistoria

Para evitar surpresas ao chegar em casa, vale a pena conferir o estado do carro antes de estacioná-lo e quando for retirá-lo. Desse modo, é possível saber o estado do carro e se apareceu alguma ‘surpresa’ no canto do para-choque, por exemplo. A vistoria também evita um jogo de empurra-empurra, pois os manobristas não poderão alegar que tal avaria já estava lá quando o carro foi deixado no estacionamento.

Não os deixe cair em tentação 

Por mais que você conheça o estacionamento e seus manobristas, rádios, óculos, tocadores de MP3 etc., são alvos fáceis para pessoas sem boas intenções. Não basta apenas confiar nos funcionários, é preciso se lembrar de que outras pessoas circulam pelo local. Então, é melhor deixar os objetos fora da vista de terceiros, ou, se possível, levá-los consigo.

Pode parecer estranho, mas um dos objetos de que mais se tem relatos de desaparecimento em estacionamentos é o estepe. Se a peça é exposta fica mais fácil identificar o furto, mas, se ele ficar escondido dentro do porta-malas ou do compartimento do motor, o dono do carro só dará falta do estepe muito tempo depois, ou até mesmo apenas quando precisar trocar um pneu e o substituto não estiver lá.

Nota fiscal não é lixo 

A primeira coisa que muitas pessoas fazem com a nota fiscal (ou recibo) do estacionamento é jogar o papel fora. Erro grave. Se aparecer uma multa gerada por algum manobrista do estabelecimento não há como comprovar de quem foi a culpa e, geralmente, o proprietário acaba por ficar com o prejuízo e com os pontos na carteira.


Article Tags: #Estacionamento #Segurança
0 comentários